Se você está chegando agora e não conhece, leia o primeiro capítulo.

Se você perdeu o capítulo 10, leia aqui.

Tá ansioso (a) pra saber o que aconteceu com a Sophia né? Eu sei hahaha

Prepare o coração, senta no sofá e pega uma pipoca!

 

Peguei minha carteira, celular e fui para o elevador, desesperado.
Com o celular na mão, pedi um Uber, mas como estava muito nervoso, acabei me atrapalhando com o endereço e tive que cancelar a viagem e pedir outra com o endereço certo.
Ao chegar no térreo, fiquei na calçada esperando o carro chegar. Enquanto esperava, liguei para o Vitor para dar a notícia:
– Vitor, pára tudo o que você estiver fazendo e me ouve!
– Calma, Bernardo, o que foi? Você está agitado.
– A Sophia tá no hospital, ligaram pra mim mas não quiseram me dar nenhuma notícia por telefone!
– O que?! Mas como assim?
– Cara, eu não sei, tô indo pra lá! Me encontra no Hospital Jardins que a gente conversa melhor! Eu vou avisar o Bruno e a Patrícia.
– Beleza, tô indo pra lá agora!

Desliquei o celular e liguei para o Bruno:
– Faaaala, Bernardo! Como você tá?
– Bruno, vai direto pro Hospital Jardins e me encontra lá!
– O que aconteceu?
– A Sophia tá lá, não quiseram me dar detalhes. Só vai pra lá com a Paty e me encontra que eu já tô indo.
– Nossa cara, mas como assim?! Ela tá bem?
– Bruno, só vai pra lá! Não adianta me perguntar nada, eu tô desesperado aqui. Lá a gente conversa, tchau – e desliquei o telefone.

Assim que desliguei o Uber chegou, para a minha felicidade.
Entrei no carro acelerado e já falei para o motorista:
– Corre pro Hospital Jardins! Preciso chegar lá o mais rápido possível!
– Ok, coloque o cinto e se segure!
O cara acelerou tanto que eu quase pedi pra ele parar, tinha uma grande chance de acontecer um acidente e ficarem duas pessoas no hospital num dia só.
Mas continuamos correndo e eu morrendo de medo. Nunca cheguei tão rápido num destino quanto hoje.
Desci do carro e fui direto pra recepção.

– Por favor, eu preciso saber da paciente Sophia Ambrosio.
– O senhor é o que dela?
– Amigo, mas ela não tem familiares aqui em São Paulo e a última pessoa com quem ela esteve por último foi comigo.
– Bernardo, não é?
– Isso mesmo! Como ela está?
– Me acompanhe, senhor.
– Tudo bem.

Fomos para a ala de UTI e eu já comecei a ficar mais preocupado ainda.
Chegamos em frente à sala do médico responsável por ela, Dr. Walter.
A moça bateu na porta, abriu e disse:
– Com licença, Dr. Walter. O responsável pela paciente Sophia está aqui, o senhor pode atendê-lo?
– Claro, pode deixá-lo entrar.
– Com licença – disse ela e me deixou entrar.
Ao entrar, o médico me recebeu com um aperto de mão e pediu para que eu me sentasse.
Sentei e logo fui perguntando:
– Me dê alguma notícia sobre a Sophia, doutor. Por favor! Eu estou aflito aqui.
– Calma, meu jovem. Ela não corre risco de vida.
– Ufa, menos mal. Nossa, eu estava desesperado. Mas o que aconteceu? Posso visitá-la?
– Infelizmente ainda não. Ela sofreu um grave acidente, um carro passou pelo farol vermelho e a tropelou. Ele estava fugindo da polícia, era um carro roubado e não prestou socorro.
– Nossa mas que filho da…
– Bernardo, tenho que lhe informar que a situação dela é muito delicada. Ela sofreu várias fraturas pelo corpo e está em coma. Não sabemos quando ela pode voltar.
– Não acredito! Doutor, por favor, diz que ela vai ficar bem! Eu não posso perdê-la!
– Calma, estamos cuidando dela da melhor forma possível. Não se preocupe.
– Doutor, ela não tem ninguém aqui em São Paulo, só eu e mais três amigos. Não podemos deixar que aconteça algo de ruim com ela.
– Bernardo, o que eu posso te garantir é que ela vai ter o melhor tratamento possível.
– Tudo bem doutor, muito obrigado! Mas tem uma previsão de quando vou poder visitá-la?
– Assim que as escoriações melhorarem.
– Tudo bem, eu vou esperar. Muito obrigado, doutor.

Me levantei e fui para a recepção encontrar com o pessoal e dar a notícia.

 

E esse foi mais um capítulo, semana que vem tem mais!

Muito obrigado por acompanhar essa história, deixe um comentário me dizendo o que está achando, se tem algum feedback. É muito importante saber disso.

Curta a página no Facebook para não perder nenhum conteúdo.

CLIQUE AQUI PARA LER O PRÓXIMO CAPÍTULO

– LET LIVE –

 

A vida é a coisa mais preciosa que temos, parece até obvio. Mas do que faz sentido não viver uma vida da melhor maneira? “Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe”.

Permita-se viver a sua vida e escrever a sua história.

E eu estou aqui para deixar registrada a minha.

Comentários