Faaaaala meu povo! Estavam com saudade? Estavam, que eu sei hahaha

Finalmente saiu o capítulo que estavam esperando.

Em primeiro lugar: se você não conhece essa história, leia o primeiro capítulo aqui

Em segundo lugar: se você conhece mas não leu o último capítulo, clique aqui pra ler e acompanhar

E em terceiro lugar: peço desculpas pelo atraso, mas foi por motivo maior (fiquei sem pc).

Mas como não podia deixar vocês tão curiosos com a história, dei um jeito de escrever e postar 6 novos capítulos numa mesma semana! SIM, VOCÊ NÃO LEU ERRADO, 6 FUCKING CAPÍTULOS NA MESMA SEMANA! Só pra me desculpar com vocês (depois dessa, o pedido de desculpas foi aceito né?!)

Vamos parar de enrolação e ir direto ao capítulo!

 

Compramos algumas comidas congeladas e sucos, coisas rápidas, já que ninguém estava bem psicologicamente para cozinhar.
Enquanto eu colocava uma lasanha no forno, Bruno foi fazendo um suco. Vitor e Paty ficaram na sala conversando, já que Paty ainda estava um pouco agitada.
Com a lasanha no forno, fomos todos para a sala conversarmos.
– Ela vai sair dessa. Ela é forte – disse Bruno.
– Com certeza, mas precisamos ajudá-la de alguma forma – disse Paty.
– Mas como? Só depende dela e dos médicos. A gente não pode fazer nada, Paty – Vitor comentou.
– Eu sei que nenhum de nós é muito religioso, mas acho que devíamos rezar, orar, mandar energias positivas ou qualquer coisa do gênero. Pode até ser besta, mas não custa nada tentar.
– Paty, você acha mesmo que isso vai ajudá-la? Nada a ver… – disse Vitor, debochando da ideia de Paty.
– Vitor, eu não sei se vai dar certo ou não, mas o que custa tentar? O que você perde fazendo isso? E se realmente ajudá-la? Vai deixar de fazer algo por uma amiga sua?! – questionou Paty, mais estressada do que já estava.
– Calma, pessoal. Vamos manter a calma pra ninguém ficar mais nervoso aqui. Já não basta estarmos aflitos por essa situação, discutir não vai adiantar nada. Eu apoio a ideia da Paty, vamos fazer uma corrente de energias positivas, cada um “reza” da maneira que achar melhor, o importante é ajudarmos Sophia de alguma maneira. – respondi.
– Eu topo – concordou Bruno
– Eu também – disse Paty
– Ah gente, sei lá. Vocês me conhecem e sabem que eu não acredito nessas coisas. Vou amadurecer essa ideia aí e depois falo com vocês. Vou pra casa descansar, hoje foi um dia tenso. Até mais. – e Vitor foi saindo.

Assim que Vitor fechou a porta, Paty ficou mais nervosa ainda e disse:
– Caramba, que insensível! Como ele pode deixar de fazer algo pela nossa amiga?! Ela tá precisando da gente mais do que nunca agora e ele sai andando?!
– Paty, qualquer hora você vai ter um treco, melhor se acalmar. Já pensou se isso acontece? Serão 2 pessoas precisando da gente, se acalma. Se ele não quiser ajudar a gente ajuda em dobro, se precisar. A gente não vai medir esforços pra isso. – respondi tentando acalmá-la.
– Ele é um ridículo, isso sim! Não vou contar com ele pra mais nada!
– Isso é uma coisa que devemos fazer mesmo, não contar com ninguém. Devemos agir por nós mesmos e quem quiser ajudar será bem vindo, nada mais.
– Isso me deixa furiosa! Ahhh que raiva!!!
– Calma, Paty. Eu, você e o Bruno estamos aqui para ajudar Sophia, então não precisa se preocupar, ela vai sair dessa numa boa.

Enquanto eu conversava com a Paty, Bruno estava na cozinha tirando a lasanha do forno e colocando na mesa.
No momento em que eu terminei de falar, Bruno grita:
– A lasanha tá na mesa! Vamos ver direitinho como vamos fazer pra ajudar Sophia de barriga cheia? Podem vir!
– Você sempre quebrando o gelo, né Bruno?! – comentei rindo – vamos comer, Paty.

 

Muuuuuito obrigado por ler esse capítulo e acompanhar essa história!

Deixe um comentário, compartilhe com os amigos e curta nossa página no Facebook para não perder nenhum capítulo novo!

Yeeeap!

CLIQUE AQUI PARA LER O PRÓXIMO CAPÍTULO

– LET LIVE –

A vida é a coisa mais preciosa que temos, parece até obvio. Mas do que faz sentido não viver uma vida da melhor maneira? “Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe”.

Permita-se viver a sua vida e escrever a sua história.

E eu estou aqui para deixar registrada a minha.

Comentários